Mapa


Países onde os cristãos são mais perseguidos
LOCAIS DE PERSEGUIÇÃO

mapa

Informações sobre a Nigéria (oeste da África)

bandeira-nigeriaA Nigéria é uma república federal, semelhante ao modelo dos Estados Unidos, que possui um presidente e um vice e tem por lema da pátria: “Unidade e Fé, Paz e Progresso”. A legislação vigente garante o direito à liberdade religiosa e proíbe toda e qualquer religião dominante.

O Cristianismo é a religião predominante no país, totalizando 49,3% da população: destes 11% são católicos, 37,8% são protestantes e 0,5% são de outras denominações cristãs. Já os muçulmanos representam 48,8% da população nigeriana. E as religiões tradicionais e os que se proclamam sem religião compõem 1,4% e 0,5% da população respectivamente.

Um dos episódios marcantes da história recente do país ocorreu no dia 15 abril de 2014, quando militantes do grupo islâmico radical Boko Haram atacaram a escola feminina pública em Chibok, no estado de Borno, no nordeste da Nigéria, e raptaram mais de 300 meninas de maioria cristã. Um mês após a ação, o grupo terrorista publicou um vídeo na internet com algumas meninas nigerianas recitando o Corão.

Apesar de a Constituição garantir liberdade religiosa, muitos muçulmanos oprimem os cristãos no país.

Informações sobre o Sudão (Norte da África)

bandeira-sudaoNo Sudão é vigente a Constituição Nacional Provisória de 2005, que defende a liberdade religiosa e reconhece a diversidade cultural e religiosa do país, entretanto, tem como base de legislação a lei islâmica, mais conhecida como Sharia.

Os cristãos compõem um percentual de 5,4% da população sudanesa, entre estes há católicos (3%), ortodoxos (0,3%) e protestantes (2,1%). E 90,7% dos habitantes são muçulmanos. Já as outras religiões atingem 0,1% da população entre as tradicionais com 2,8% e sem religião com 1%.

Em 2011, o país foi separado territorialmente entre Sudão e Sudão do Sul, com isso muitos cristãos se deslocaram para o sul, local mais rico em reserva de petróleo e recursos naturais. A outra parte do país, o Sudão, é habitada por pessoas que defendem a implantação da lei islâmica conhecida como Sharia. Os dois Estados tiveram o conflito encerrado por meio de um acordo de paz, no entanto, as disputas levaram à morte aproximadamente dois milhões de pessoas.

Informações sobre a Eritreia (Leste da África)

bandeira-eritreiaCom mais de cinco milhões de habitantes, 13% da população da Eriteia são católicos, 30% são ortodoxos e 4,9% são protestantes. E 50,1% dos eritreus pertencem à religião do islamismo sunita e 2% deles professam outras religiões.

No país, um decreto de 1995 reconheceu apenas quatro comunidades religiosas pertencentes ao Estado: a Igreja Tewahedo Ortodoxa da Eritreia; a Igreja Luterana Evangélica da Eritreia; a Igreja Católica; e o Islamismo. O Governo garantiu controle próprio da liderança da Igreja Ortodoxa e da comunidade muçulmana. Estas são controladas pelo Governo, que mantém suas hierarquias e controla as suas atividades e recursos financeiros. A Igreja Católica e a Igreja Luterana ainda possuem autonomia.

A atividade religiosa precisa ser exercida sob autorização do Governo, aqueles que transgridem essa ordem estão sujeitos à prisão. As comunidades religiosas que são autorizadas precisam de aprovação do Departamento de Assuntos Religiosos para distribuir literatura religiosa a seus fiéis.

Informações sobre a Somália (Leste da África)

bandeira-somaliaOs cristãos da Somália têm sofrido constantes opressões e ataques por parte do grupo militante islâmico Al-Shabaab. Os extremistas acreditam que aqueles que deixam de professar a fé islâmica, convertendo-se ao Cristianismo, são infiéis e merecem ser mortos.

Segundo relatório de 2014 sobre a liberdade religiosa no mundo – elaborado pela Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) – a maioria da população do país africano é muçulmana (99,8%), enquanto 0,01% é católica, 0,09% é protestante e 0,1% desta pertence a outras religiões.

Anos atrás, a Somália não possuía leis e isso deu abertura à propagação do extremismo religioso. Somente em 2012, depois de duas décadas sem um governo central, a população elegeu o primeiro presidente, Hassan Sheikh Mohamud.

No país, segundo dados da organização cristã “Portas Abertas”, de 2014, que possui mais de nove milhões de habitantes, restam aproximadamente apenas mil cristãos praticantes.

Informações sobre o Iraque (Oriente Médio)

bandeira-iraqueCom o objetivo de estabelecer um califado, o Estado Islâmico (EI) oprime e persegue cristãos visando retirá-los do país. Aqueles de origem muçulmana que professam a fé cristã não sofrem perseguição apenas dos extremistas, como também de suas famílias e comunidade local, uma vez que a religião oficial do país é o Islamismo.

Segundo o relatório de 2014 sobre a liberdade religiosa no mundo, conduzido pela Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), o Iraque possui mais de 32,6 milhões de habitantes. Destes 60% são xiitas árabes, 38% são muçulmanos sunitas (divididos entre árabes e curdos) e 2% deles são cristãos e yezidis. Pesquisas apontam que vivem aproximadamente 350 mil cristãos no país.

Informações sobre a Síria (Oriente Médio)

bandeira-siriaNa Síria os cristãos são perseguidos pelos extremistas islâmicos, assim como ocorre no Iraque e em outros locais. Com o objetivo de estabelecer um califado sob a lei islâmica, conhecida como Sharia, o grupo terrorista do Estado Islâmico (EI) tem atacado, torturado e assassinado quem se opõe ao islamismo e não se converte a essa religião.

Dados da Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) apresentam o panorama da pluralidade religiosa no país. 2% dos sírios são católicos; 2,9% ortodoxos; 0,3% são protestantes; 92,8% são muçulmanos e 2% não professam religião alguma.

Conforme informações divulgadas pela organização cristã “Portas Abertas”, mais de 130 mil pessoas foram mortas em quase três anos de constante conflito no país.

Informações sobre o Irã (Oriente Médio)

bandeira-iraConsiderada uma das mais antigas nações do mundo, 99% da população do Irã é convertida ao islamismo. O Cristianismo alcança o percentual de 0,5%, assim como as outras religiões existentes no país.

Antigamente o Irã era conhecido como Pérsia, época em que o Cristianismo era forte no país; contudo, com a chegada do islamismo, no século VII, a situação dos cristãos no país foi mudando radicalmente. Um grande marco na história iraniana aconteceu em 1979 com a Revolução Islâmica, fato que resultou na queda drástica do número de cristãos.

De acordo com a Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), uma lei imposta pelo Governo em 2010 visa o fechamento das Igrejas cristãs, que realizam os seus serviços religiosos na língua nacional, o farsi, para pôr fim às conversões ao Cristianismo.

Informações sobre o Afeganistão (Centro-Sul da Ásia)

bandeira-afeganistaoSegundo a Constituição afegã o islamismo é a religião oficial do país. Sendo que 99% dos afegãos são muçulmanos, os quais são divididos em sunitas (80%)  e xiitas (19%); aqueles que professam outras religiões totalizam 1% da população.

Os seguidores de outras religiões têm o direito de professar sua fé e praticar seus ritos e cultos abertamente dentro dos limites impostos pela lei islâmica (Sharia). No entanto, no país, o Cristianismo é considerado uma religião ocidental hostil à cultura afegã. A conversão de um muçulmano a outra religião pode ser punida com a morte segundo algumas interpretações da lei islâmica no país.

A presença da Igreja Católica no país é marcada pela missão Sui Iuris, conduzida pelo sacerdote italiano barnabita Giuseppe Moretti. No total, somente 15 sacerdotes e religiosos do sexo feminino e masculino trabalham no Afeganistão.

Informações sobre o Paquistão (Sul da Ásia)

bandeira-paquistaoOs grupos extremistas presentes no Paquistão incitam o ódio aos cristãos, resultando em prisões, agressões, sequestros, estupros e ataques a casas e igrejas.

Um levantamento feito pela Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) mostra que a religião predominante entre os paquistaneses é o islamismo, obtendo um percentual de 96,5%, enquanto 1,9% destes são hindus, 1,1% deles são protestantes e apenas 0,5% são católicos.

Apesar de a Constituição do país garantir liberdade religiosa, a estrutura constitucional, legal e política do Paquistão não trata igualmente as minorias religiosas, pois a lei vigente garante que o islamismo é a religião do Estado. O sistema legal é baseado na lei comum inglesa, entretanto, a lei islâmica, a Sharia, possui forte influência no país e é aplicada em muitos distritos.

Informações sobre a Coreia do Norte (Leste da Ásia)

bandeira-coreianorteA Coreia do Norte é considerada a nação mais isolada do mundo em razão de suas políticas de reclusão. As atividades religiosas são vistas como formas de revolta contra os princípios socialistas do Governo e contrárias ao culto à personalidade de seu líder, Kim Jong-Un.

Com isso, muitos cristãos não compartilham a sua fé com medo de represálias, como o trabalho forçado, a detenção, o desaparecimento, a tortura e até mesmo a execução pública. Segundo dados da organização cristã “Portas Abertas”, dos cerca de 400 mil cristãos existentes no país, aproximadamente 50 mil estão presos.

Um levantamento feito pela Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) em 2014 afirma que, dos mais de 24 milhões de habitantes norte-coreanos, 71,3% não possuem religião, 12,3% professam religiões tradicionais, 12,9% outras religiões, enquanto 2% são cristãos e 1,5% budistas.

Por Alan Lucas, gestor

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s