Santos que intercedem por nós: Beata Francisca de Jesus (Nhá Chica), †1895

Publicado em Atualizado em

Beata Francisca de Jesus

Beata Nhá Chica
Beata Nhá Chica, imagem original | Foto: Arquivo pessoal

Filha e neta de escravos, Francisca de Paula de Jesus nasceu em 1810, no povoado de Santo António do Rio das Mortes Pequeno, no município de São João d’el-Rei (Minas Gerais, Brasil), onde também foi batizada no dia 26 de abril desse ano. Pouco tempo depois, a sua família mudou-se para a cidade de Baependi, no sul do mesmo estado, onde viveu até 14 de junho de 1895, data do seu falecimento.

Francisca ficou órfã aos dez anos. Mulher humilde, era fervorosa devota de Nossa Senhora da Conceição e, a pedido da mãe, passou avida inteira a dedicar-se à prática da caridade. Leiga, foi chamada ainda em vida “a mãe dos pobres” e era respeitada por todos os que a procuravam, desde os mais humildes aos grandes do Império brasileiro. Durante 30 anos, reuniu doações para construir a capela de Nossa Senhora da Conceição, em Baependi, onde hoje está sepultada. Francisca de Jesus era conhecida por Nhá Chica.

Foi beatificada em 4 de maio de 2013, na sua cidade, e tornou-se a primeira negra brasileira a ser declarada beata pela Igreja Católica.

Abaixo algumas informações a mais sobre a Beata.

Um rebento entre grilhões: nascimento e infância de Nhá Chica

Nhá Chica, em sua vida, fez a experiência de, na simplicidade, sem grandes feitos, ser reconhecida como alguém que aponta para o infinito, alguém que mostra aqui e agora, no cotidiano da vida, de modo concreto e vivo, o projeto original de Deus para o seu povo, a humanidade.

Francisca de Paula de Jesus foi uma simples mulher, filha de escrava, que viveu mais de 80 anos, durante o último estágio do regime da escravidão negra no Brasil, nas cidades de São João Del’Rei e Baependi, ambas no estado de Minas Gerais.

Nhá Chica, como ficou conhecida, nasceu na “Porteira dos Villelas”, fazenda de porte não muito grande, situada em Santo Antônio do Rio das Mortes Pequeno, povoado da Província de Minas Gerais situado a seis léguas [1] de São João Del’Rei, de onde hoje é distrito. Era o ano de 1808, segundo escreve o Dr. Henrique Monat em 1894, após entrevistá-la [2]. Foi batizada em 1810 [3], conforme o assentamento paroquial [4].

Nasceu como uma flor que surge entre os grilhões da escravidão negra no Brasil. Realidade dura e sofrida, mas que não negou seus melhores e mais frutuosos rebentos à humanidade e à religiosidade sul mineira.

Francisca de Paula teve apenas um irmão, Theotônio Pereira do Amaral, que galgou altos postos na comarca de Baependi, chegando a ser Tenente da Guarda Nacional do Império, Vereador, Juiz de Vintena. Era negociante. Tinha também marcada presença na religiosidade baependiana, sendo membro da mesa da Irmandade de Nossa Senhora da Boa Morte [5], entre outros. Nascera provavelmente quatro anos antes da Serva de Deus, em 1804. Era casado com Leonora Maria de Jesus e não deixou descendência, fazendo de sua irmã a sua herdeira universal [6].

A mãe de Nhá Chica, Izabel Maria, morreu em Baependi, quando ela tinha apenas dez anos. Daí se conclui que muito cedo Nhá Chica mudou-se com sua família de Santo Antônio do Rio das Mortes Pequeno para Baependi, provavelmente aos oito anos de idade, portanto, em 1816 [7].

Embora pudesse acompanhar seu irmão ou casar-se, pois segundo ela mesma não lhe faltaram pretendentes, Nhá Chica preferiu morar em sua casinha e dedicar-se a Deus e às pessoas mais necessitadas.

Sobre esta etapa da sua vida, o mesmo Dr. Henrique Monat escreve:

“…veio pequena para Baependi, onde se viu orphã na idade de 10 annos; um irmão constituía toda sua família; morrendo sua mãe lhe recommendára a vida solitária, para melhor praticar a caridade e conservar a fé Christã.

Seguindo esse conselho, ella não deixou a casa onde vivia, recusando o convite do irmão que a chamava para sua companhia.

Cresceu isolada do mundo, que a cercava, dedicando-se à caridade e à fé.

‘Nunca senti necessidade de aprender a ler’, disse-me ella; ‘só desejei ouvir ler as escripturas santas; alguém fez-me esse favor, fiquei satisfeita.’

Rapazes do seu tempo pediram-n’a em casamento, recusou a todos, sem se mostrar contrariada, tornou-se até muito amiga do que mais insistira, grata pelas suas boas intenções… tinha porém missão a cumprir.

Moça ainda, Nhá Chica já era a mãe dos pobres; pouco a pouco foi se estendendo a sua fama, porque os seus conselhos eram sempre muito ajuizados.

Para todos ella tinha palavras de consolação e de conforto, a promessa de uma oração, a predição do resultado de uma empreza ou um socorro material” [8].

Continua durante o dia, mais relatos registrados da santa Beata, boa leitura!
Gestor do Blog

Notas:

[1] Equivale a mais o menos 36 km.

[2] Cf. Bibliografia Documentada, II Parte, Capítulo V, item 3.

[3] Em 26 de abril de 2011, na 3ª Vara Cível da Comarca de São João Del’Rei/MG foi efetuado o Registro Civil Tardio de Francisca Paula de Jesus e partir de então consta como data do seu nascimento a mesma data constante no Registro de Batismo, 26 de abril de 1810.

[4] Biografia Documentada, II Parte, Capítulo V, documento 2.

[5] Biografia Documentada, II Parte, Capítulo V, documentos 4, 5 e 6.

[6] Biografia Documentada, II Parte, Capítulo V, item 4. A herança que Nhá Chica recebeu de seu irmão foi empenhada na construção da Capela que Nossa Senhora lhe pedira e no douramento do altar-mor da Matriz de Nossa Senhora do Montesserrat.

[7] A comissão histórica pró-beatificação não conseguiu localizar o atestado de óbito da Mãe de Nhá Chica, bem como o batistério de Theotônio.

[8] Henrique MONAT, Caxambu, p. 93. Aqui mantivemos o modo de escrever da época tanto quento possível, desde que não comprometesse a compreensão do texto e de sua ideia.

por Pe. Jean Poul

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s