Fendas: A Mística da Fenda do Lado de Cristo

Publicado em Atualizado em

No tempo de São Francisco já existia aos pés do paredão rochoso um oratório sob o patrocínio de São Silvestre

 

Por Frei Alberto Beckhäuser, OFM

Speco, em italiano, significa espelunca, antro, caverna. No caso do Speco di Narni trata-se de uma fenda na rocha. Estamos em Narni, cidade na Região de Terni, na Úmbria, a pouca distância de Rieti. Entre as duas Regiões, situa-se apenas a cordilheira dos Apeninos. Da região de Terni procedem vários protomártires da Ordem, os chamados Mártires de Marrocos.

O Speco di Narni está entre os vários lugares procurados por Francisco para dedicar-se à oração. Só para lembrar alguns: L’Eremo delle Carceri no vale de Spoleto; os quatro santuários nas montanhas em torno do vale de Rieti (Greccio, Fonte Colombo, La Foresta e Poggio Bustone); La Verna ou Monte Alverne no vale do Casentino e Lo Sacro Speco no vale de Terni ou “Valle ternada”.

Nas encostas da montanha perto do vilarejo de Santo Urbano encontra-se, entre outras menores, uma profunda fenda no paredão de uma montanha rochosa. Numa delas teria se encontrado Santo Antônio a caminho de Assis para o Capítulo das Esteiras; de outra teria pregado ao povo São Bernardino de Sena. Contam os biógrafos que São Francisco teria se demorado nesta fenda maior por longo tempo, em 1213.

No tempo de São Francisco já existia aos pés do paredão rochoso um oratório sob o patrocínio de São Silvestre, papa, presente até hoje, como fundamento primitivo do atual eremitério erigido, provavelmente, por monges beneditinos.

No pequeno claustro deste eremitério havia um poço-cisterna de água, onde teria acontecido o milagre do vinho. Francisco, doente, teria pedido um pouco de vinho; não o tendo na hora, os frades ofereceram-lhe um copo d’água tirada do poço-cisterna. Francisco teria feito o sinal da cruz e a água se teria transformado em vinho. E Francisco, tomando-o, teria recuperado as forças.

Nos inícios do movimento de reforma dos Observantes no tempo de São Bernardino de Sena se construiu ali um eremitério semelhante ao do Eremo delle Carceri, em Assis. Temos aí um belo claustro com vista sobre o vale, pontuado de vários vilarejos, vendo-se ao fundo nas encostas dos Apeninos a cidade de Stroncone. Ao lado do claustro ergue-se a igreja com belo coro dos frades e, subindo do coro, o refeitório chamado “refeitório de São Bernardino”. Em andar superior estende-se o “Conventinho de São Bernardino” com as tradicionais pequeninas celas típicas dos observantes. Pelo fim do século XVI o convento foi ampliado como se apresenta hoje.

O “Viale della Via Crucis” leva os frades do pátio do conventinho ao “Speco del Santo”. Bem ao sopé da montanha rochosa do “Speco del Santo” encontra-se um “Oratório” em estilo românico, chamado “L’Oratorio di San Francesco”, tendo ao lado um puxado denominado “la cella” e a uns três metros de distância “la colonna dell’Angelo”.

Conta-se que, mais do que no oratório, Francisco se detinha na caverna (speco) da montanha rochosa. Tendo Francisco adoecido gravemente os frades teriam construído uma “cella” para Francisco, contígua ao oratório e na cela uma cama que ainda se deixa ver. Uma noite Francisco sofrendo terrivelmente, pediu um conforto espiritual a um confrade, pedindo que lhe tocasse alguma música. Não tendo com que fazê-lo, eis que aparece um anjo que sobre a coluna de pedra toca belos sons de uma cítara.

Existe toda uma mística em torno do “Sacro Speco del Santo”. O “Sacro Speco di Narni” como as cavernas rochosas do monte Alverne encontra para os frades e para Francisco um fundamento na Bíblia. O Evangelho de Mateus conta que na hora da morte de Jesus “no mesmo instante a cortina do Santuário rasgou-se de alto a baixo, em duas partes, a terra tremeu e fenderam-se as rochas” (Mt 27,51). Daí a crença de que as fendas das rochas em todo o mundo simbolizavam as chagas de Cristo, particularmente, a sagrada chaga do seu lado, aberto pela lança.

Ali se inspira a mística franciscana da meditação da Paixão do Senhor. Contemplar as suas chagas significa mergulhar no Amor de Cristo aos homens, deixar-se acolher por seu imenso amor, refugiar-se nos abismos do seu amor infinito. Trata-se de aninhar-se nas fendas das chagas de Cristo, penetrar fundo no amor que nos amou primeiro.

Sem dúvida o conventinho do Sacro Speco se apresenta como lugar privilegiado para um retiro a sós. Total silêncio, pouca gente circulando. Espaços de total recolhimento tanto na igreja, na capela interna, como na natureza: os bosques, o oratório, a cela de São Francisco, a fenda no grande paredão rochoso da montanha. Rezei bastante pelos confrades da Província. Pensei no eremitério Beato Egídio da Província em Rodeio que, creio eu, poderia ser bem mais valorizado.

Só me resta agradecer a Deus, ao Ministro Provincial que deu a bênção para mais este retiro em lugar frequentado por Francisco, por ocasião da participação dos trabalhos da Comissão Litúrgica da Ordem em Roma, e à Fraternidade do Eremitério do “Sacro Speco del Santo”. Peço ao Senhor que me converta e me ajude a crescer na vida de oração, no amor fraterno, na pobreza e no apostolado.

Poderíamos concluir este pequeno relatório com a oração tão representativa da espiritualidade franciscana:

Nós vos adoramos, santíssimo Senhor Jesus Cristo,

aqui e em todas as vossa igrejas que estão no mundo inteiro,

e vos bendizemos porque pela vossa santa Cruz remistes o mundo.

sources: Instituto Teológico Franciscano

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s